segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

LAÇOS E RENDAS












Nasci de um laço entre a serra e o mar. 

Um laço de amor. 

Por ele desci as encostas arredondadas da estrela desenhada no horizonte... sempre longe.
Não desejava limiares. Parti, desbravando-me. 

Procurei o mar. Vesti-o em ondulações drapeadas na seda azul de infinitos. Senti-o, acariciante e terno... num crescendo.
Beija-me agora os pés num movimento manso, inconsequente, húmido, trazendo-me gaivotas bordadas no tule finíssimo e esvoaçante da espuma das rendas.




Nós? 
Só o solo inculto os preserva, 
entre a serra e o mar... 
sem nós.










14 comentários:

  1. E desbravando-te, de nós fizeste laços.
    De sonho e liberdade.

    Abraço grande

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Gosto de desfazer nós, refazer laços e rendilhar emoções. Assim vivo, sempre rendilhando.

      Beijinho, Anónimo, e um abraço

      (grande)

      Eliminar
  2. Hola,
    Hacer-deshacer, será que es un abrir y cerrar?
    Igual que un lazo, se hace y deshace, como en la vida según lo que se vive…
    Beijos. Amiga L.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Poseidón, sê bem vindo!
      Desfazer para fazer, porque a vida se faz, desfazendo, muito mais vezes do que se pensa.

      Beijinho

      Eliminar
  3. Entre-laços e rendas fazemos e desfazemos emoções
    ficará sempre entre-nós

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. As emoções, Fê, só as sente quem as sente nos nós e entre-nós de quem se vai desfazendo por se rendilhar.

      Beijinho

      Eliminar
  4. Respostas

    1. Obrigada, Argos! Recebo o teu abraço com agrado e dou-te outro, em troca, com um lindo laço de seda azul.

      Beijinho

      Eliminar
  5. As rendas mais bonitas, mais completas, são precisamente aquelas que se fazem de nós e laços.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Pois são, GL. Algumas aplicam-se, outras ficam guardadas à espera de as aplicar. Outras, pedaços, só servem de amostra... :)

      Beijinho

      Eliminar
  6. Respostas

    1. Que se desfaz ou permanece intacto.

      Obrigada, Pi. Um beijinho

      Eliminar

  7. Eu confesso que fiquei rendida e presa nestas rendas e nestes nós.
    :))

    Costumo, quando visito um blogue pela primeira vez, procurar ler o primeiro post... a génese... para tentar entender o projecto desde o início.
    Curiosamente, fiquei com a ideia que não era um começo... mas um recomeço.

    Tudo de bom
    (^^)


    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Do começo ao recomeço, Afrodite, vai só a distância de um prefixo. Mas, sem dúvida, foi um recomeço, porque precisava da leveza da renda e do acetinado dos laços.

      Beijinho

      Eliminar